sábado, 24 de abril de 2021

Todo brasileiro tem direito a um e-mail grátis

 

Essa tela inicial...

Em meados do ano 2000 (acho), cadastrei minha primeira conta de e-mail. Tratava-se do BOL, Brasil On Line, cujo slogan era "Todo brasileiro tem direito a um e-mail grátis". Salvo engano, na época, eram 2MB de espaço e isso era suficiente. Mais do que a capacidade do disquete 5 1/4, o usual para transporte de dados em minha juventude. E eu o acessava no Outlook Express! A coisa era chic.

Fundado pelo grupo Abril, celebrou joint venture com o UOL logo no primeiro ano de existência e, hoje, pertence integralmente a este, integrante do grupo Folha. Por ter sido inovador no serviço de e-mail gratuito, têm em torno de 15 milhões de acessos por mês à sua página inicial. Eu mesmo a acesso todos os dias, mais de uma vez, para checar mensagens. Assim, aproveito e vejo as principais notícias da página inicial, clicando eventualmente em algum link.

Durante um tempo, tentei usar o aplicativo de mensagens, para baixá-las sem ir à página. Mas era horrível. Todo bugado. Aí desisti e voltei à versão web. Aliás, a página é eficiente para checar e-mails mesmo na versão para celular, no navegador. Meu apego ao BOL foi tão grande que, até pouco tempo, foi minha conta de correio eletrônico padrão. Passei vinte anos apenas a utilizando. Precisei cadastrar outras por aí, mas apenas para fins de Android, Blogger e trabalho.  Todos os meu cadastros contavam com o e-mail Bol.

Em meados de 2019 a 2020, o BOL passou a anunciar que apenas assinantes poderiam ter acesso à leitura e envio de mensagens por seu aplicativo, o qual não presta e talvez por isso pouca gente tenha aderido. Para mim, então, tudo ok. Mas este ano tomou o passo decisivo para nos afastar de sua página: a capacidade reduzida de 6GB para 200MB. Considerando spams, lixeira e arquivos salvos (muita coisa de vários anos), fiquei bloqueado de receber mensagens novas logo no primeiro dia. Precisei limpar toda a lixeira e quarentena e enviar meus e-mails salvos para minha conta funcional (onde possuo 30 GB de espaço).

Em modificações anteriores, passaram a oferecer 200MB apenas a novos cadastrados. Mas, agora, jogaram o mesmo limite até aos antigos usuários. Certamente, manter servidores custa caro. Mas só de pensar que o Gmail oferta, gratuitamente, 15GB, faz pensar na mesquinharia que são 200MB. Em breve pesquisa, vi que a Colony Capital comprou a operação de data center do UOL por algo em torno de dois bilhões de reais. Talvez as mudanças se devam a isso.

Deu e está dando bastante trabalho, aos poucos, modificar toda uma vida de cadastros variados. Agora, o e-mail funcional será o padrão, pois não penso em mudar de emprego, há mais de década não estudo para concurso e, acaso viva bastante, só me aposentarei na idade limite (hoje, 75 anos).

A empresa não possui nenhuma obrigação em me dar mimos e e-mail gratuito de 6GB. Mas, francamente, isso foi estúpido. A maior parte desses 15 milhões de acessos à página, consumindo sua publicidade, se deve justamente às antigas contas de e-mail. Falo por mim. Estou migrando tudo para conta funcional e, em breve, jamais acessarei o BOL. Logo, jamais acessarei às notícias do portal e isso, no longo prazo, será sentido em seus ganhos publicitários.

Enfim, foi uma boa relação de duas décadas. Sentirei saudades.

12 comentários:

  1. Não estou sabendo dessa compra. O UOL sempre foi uma empresa competente com seus serviços disponíveis no portal, principalmente as noticias e chats bem gostosos. Mas é estranha na questão de assinaturas. Eles vão correr atrás de você por um bom tempo, se um dia se atreveu a ser assinante.

    Tudo passa. Principalmente na Internet. Ainda hoje me lembro do sonzinho agudo do icq que foi substituído pelo Messenger da Microsoft e hoje temos o Whatsapp ou o Messenger do Facebook, que é ruim.


    As pessoas nem ligam mais para o e-mail. Mas ele ainda é fundamental. Espero que o UOL saiba o que fez em relação a essa negociação. Há empresas comprando outras para simplesmente tira-las de cena.

    Foi o que aconteceu com o Flickr, semelhante ao Tumblr, que se encerrou após ter sido comprado por uma empresa aí. Depois o Yahoo também foi vendido. Esse continua, mas a impressão que tenho é que luta para se manter, pois ter sido comprado pela América On Line não ajudou em nada. Enfim... A internet não é coca-cola mas é isso aí.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Fabiano.

      Como eles venderam as operações de data center, provavelmente, agora, não podem dispor de tanto espaço sem muito custo. De certa forma, se quiserem mais espaço e processamento, deverão pagar a servidores. É apenas o que acho, diante da transação realizada e, claro, da redução para 200MB.

      Em matéria de tecnologia, tudo passa rápido demais. E que bom! Gostava da rede IRC e do ICQ. Mas, claro, que bom ter, hoje, acesso a programas de mensagens rápidos e gratuitos.

      Você também fala em Flickr e Tumblr e recordo do flogão! Aliás, estrelas modernas nasceram naquelas mídias. Ex: a Mari Moon, que despontou no Fotolog e foi convida pela MTV. Ainda hoje ela tem seu espaço.

      Sobre o Yahoo, utilizei bastante sua ferramenta de busca antes do Google.

      É isso. Constante evolução. No caso em apreço, não foi evolução, penso. O e-mail ainda existe e é ofertado, só que pago e com pouco espaço para os padrões atuais.

      Abraços!

      Excluir
  2. Houve uma época em que éramos inundados de CDs com propagandas da AOL. Eles encartavam aquela porcaria em revistas, mala direta, entregavam na saída das escolas - um verdadeiro spam físico!
    Minha primeira e até hoje principal conta de e-mail - Hotmail - é de 1998 quando comecei a usar com mais frequência a internet e acredito que foi o primeiro serviço gratuito de qualidade.
    O UOL eu limei dos meus acessos. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Pateta.

      Recordo disso. Meu tio era assinante da AOL. Recordo bem quando acessava internet da casa dele, isso próximo do final da década de ‘90. E, mesmo após os anos 2000, ainda abundavam CD-ROMs do gênero.

      Tb fiz uma conta Hotmail. Ainda a possuo. Mas só fiz mesmo para uso do MSN. O padrão mesmo era o BOL. Por um lado, isso também será bom porque me afasto, assim, daquele ambiente nocivo do grupo Uol/Folha.

      Abraços

      Excluir
  3. Minha primeira conta de e-mail foi do zip mail, nem sei se isso existe mais. Em seguida, fiz uma no hotmail, com a qual permaneço até hoje.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Marreta.

      Rapaz… desenterrou um defunto agora. Acabei de pesquisar e o zipmail ainda funciona, e está sob a batuta justamente do… Uol. Tb possuiria 6GB de espaço, mas deve ter reduzido também.

      Abraços!

      Excluir
  4. Olá, Neófito. Tudo beleza?

    Meus primeiros emails foram do IG. Tinha vários, até hoje não sei pra quê, acho que era uma moda da época, fazer vários emails para ninguém identificar. Pior é que não guardei grande parte das senhas e, ainda hoje, quando me deparo com algum cadastro em meu nome que está na conta do IG, não consigo acessar.

    Nesse mês mesmo tive que alterar uma informação de uma conta de energia que estava com um desses emails do Ig, e não consegui acessa-lo pois a recuperação de senha estava ligada a outro email do IG em meu nome kkkk. Tive que ligar para a central e pedir pra trocar o email.

    Nunca me atentei a quantidade de dados permitida para um serviço de email grátis. Hoje, tenho email no gmail e hotmail e, em ambos, nunca excedi esse limite. Acredito que, como excluo os antigo, sempre sobra espaço.

    Os serviços de notícias estão, quase todos, migrando para esse esquema de assinaturas. Logo, só sobrará o globo.com pra ver alguma coisa.

    Abraços!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Matheus.

      Espero que esteja tudo bem contigo.

      O Ig é ativo ainda hoje, com direito ao mesmo cãozinho como mascote e mesma identidade visual

      Aí está o problema em mudanças de regras: cadastros antigos, antigos contatos etc. Já recebi e-mail de colega que não via há mais de década. E também já enviei e-mail para conhecidos com quem não falava há uns 15 anos! E deu certo. Essas mudanças são complicadas, enfim.

      Eu também nunca extrapolava. Mas 200MB é pouco. Só de declarações de imposto de renda salvas, nos últimos 16 anos, dá bastante coisa. O lixo eletrônico também é grande, e a caixa de spam conta nos 200 MB. Enche fácil, fácil…

      Tb antevejo assinaturas. Isso também me fez migrar para o funcional, pois meu órgão contrata serviços Google e acho que não mudarão nunca, pois daria bastante trabalho.

      Abraços!

      Excluir
  5. não sei pq essas empresas fazem isso
    parecem q querem q todo mundo migre pro gmail
    meu e-mail funcional é muito lixoso (parece q é gratuito, sei lá, pro meu órgão)
    tive um e-mail do IG e tive q abandonar pq passaram a cobrar pelo serviço

    abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Scant.
      Meu tribunal comprou suítes corporativas Google. Há ferramenta que nem sei pra q serve. Alguém deve usar. Mas só o email de 30 gb e o drive de 30 gb, por si, são ótimos.
      Acho q o Bol cobrará em breve. E não sei quem paga por essas assinaturas de portais, com tanto conteúdo gratuito por aí.
      Abç

      Excluir
    2. "Meu tribunal comprou suítes corporativas Google. " o meu comprou álcool em gel hahahahaha
      vida ruim de pobre...

      Excluir
    3. Vantagens de sua lotação: só rala em épocas específicas.

      Essa aquisição foi há anos e anos. Em TI, é uma Corte satisfatória. Em muita coisa aliás. Me dão até veículo 4x4 para diligência com cartão de abastecimento. Mas, tb, se não dessem eu não faria nada, pois algumas acessos são complicados.

      Excluir

Comente ou bosteje.